Lonely beds, different cities.

A maior prova de amor, foi você se tornar na minha vida o melhor dos meus sonhos.

“ Já percebeu como tudo mudou? Percebeu que nas noite frias você não me manda mais sms dizendo que faz frio sem mim em sua cama? Percebeu como você não me olha mais com o mesmo brilho no olhar de antes? Percebeu que qualquer coisa tem mais importância pra você agora do que eu? Que você passa horas mexendo no celular e nem sequer me manda um “eu te amo” ou apenas um “oi amor”? Não, você não me chama mais de amor… Isso dói. Como dói. Tenho certeza que você não percebeu também como isso interfere no meu humor, como isso me leva pra uma atmosfera fria e vazia, onde eu sei que apesar de ter você ao meu lado, estou ao léu, abandonada, sem carinho, sem amor, sem você. E meu travesseiro é o único que enxuga minhas lágrimas, não mais você, como antes. Mas acredito que por um lado seja normal isso acontecer, afinal, antes as lágrimas que você secavam eram de felicidade por ter você, e hoje, as lágrimas são de tristeza por te ter aqui, e ao mesmo tempo não ter. A saudade machuca, ainda mais quando temos saudade de como alguém foi conosco um dia… Espero que você perceba, que ninguém te ama como eu, nem te cuida, nem te acarinha, nem jamais vai aturar suas loucuras e sua intensidade como eu. E por mais que eu não esteja com você, meu coração estará. ”

—    Daynara Duarte (via teamar-prasempre)

(via teamar-prasempre)

“ Anxiety is the dizziness of freedom. ”

—    Søren KierkegaardThe Concept of Anxiety: A Simple Psychologically Orienting Deliberation on the Dogmatic Issue of Hereditary Sin (via feellng)

(via langleav)